terça-feira, 29 de dezembro de 2009

2010 - Ano NOVO!

Nesse pouco tempo que resta para 2009, todos os dias quando acordo, fico pensando o que é que eu vou planejar para o ano que já está batendo na porta. Sim, porque alguma coisa precisa mudar, ser diferente, se não o ano não é novo, é só igual. É o mesmo que olhar o tempo passar; e, definitivamente, isso não combina comigo.
Às vezes me acho um tanto quanto contraditória: me sinto tão angustiada de não saber direito o que quero, o que posso fazer diferente; mas por outro lado, se eu já soubesse perderia o desafio de sonhar e planejar, e reinventar.
Fico pensando que nesse ano tanta coisa me atropelou; e passou rápido demais pra mim, que preciso de um pouco mais de tempo pra organizar os pensamentos, as estratégias e vontades. O preço de não sentir as coisas no meu tempo é que isso me transforma em alguém automatizado, que monta e desmonta sem estudar o manual. E o gosto disso pra mim, é que me transformo em uma máquina que não quero ser.
Na verdade, muitas vezes não queria estar entregue a uma cultura que inventaram pra mim, me entregar ao dinheiro que o ser humano precisa pra sobreviver. Eu queria mesmo é não precisar de dinheiro, porque aí sim eu seria livre pra fazer realmente o que me satisfaz a alma, sem o preço de não estar sendo recompensada por aquilo que todo mundo fez parecer a coisa mais importante do universo; porque a minha visão de recompensa está ligada ao prazer. A minha cultura me faz trocar o prazer pelo dinheiro, e eu, como um ser humano (mesmo que não queira) igual a todos, também faço parte dessa cultura chata, mas – admito - necessária.
A prova mais clara disso, é que nunca tive tanta dificuldade de organizar as palavras que quero como agora. Me sinto perdida, porque não tenho mais tempo, nem energia para me dedicar ao prazer de escrever meus confusos sentimentos. E por mais que eu apague e reescreva não vai ficar bom o bastante. Só não parei por aqui porque talvez precise exercitar
.


E quando acordo e me pergunto o que é que eu quero para 2010, não sei me responder. Mas ainda me orgulho de não ter ficado feliz com a minha rotina, pois isso faria de mim uma pessoa estacionada, quando meu prazer é estar em movimento, rumo aos meus “novos” objetivos. Aos que me amam: nunca me deixem dizer que está bom assim, que não quero mudar nada; essa não seria a Gabi que eu to construindo.
Mas graças a Deus, eu também tenho uma parte acomodada de mim. Não quero mudar as pessoas que eu amo, que me cercam; não quero deixar de acreditar que Deus não está só na Igreja, mas sim em mim, comigo; quero continuar a entender mais minha própria espiritualidade, minha evolução; quero cursar até o último dia a minha faculdade tão amada (e sacrificante), com as pessoas mais lindas, que conheci naquele lugar, que me fizeram crescer (...)
Se tem uma coisa que 2009 me ensinou, e que preciso perder a vergonha cultural de admitir, é que eu odeio responsabilidades. Principalmente odeio obrigações. Que coisa chata essa de ser adulto! E que coisa brega essa de achar que ser adulto é necessariamente cumprir obrigações à força. Talvez por isso eu relute em crescer. Mas agora não tem jeito, infelizmente não posso voltar atrás.
Só o que preciso é encontrar algo que contrapese as responsabilidades chatas. Algo que me deixe tão feliz a ponto de não me importar com isso. Acho que é isso que todos deveriam fazer para não chegar ao ponto de olhar para sua própria vida e achar que ela é um saco.
Aliás, eu poderia resumir tudo isso que escrevi dizendo mais uma vez que a minha felicidade é renovar. É encontrar alguma coisa nova que me dê prazer e correr em direção a ela. E esses meus desejos nunca são mais fortes do que nesse período tão propício para mudanças, que é a chegada de um novo ano.
O que quero de verdade é que 2010 seja realmente novo, e não só o fim de 2009. Que não seja um “ano novo”só no nome.
Quero realizar, mudar, crescer, evoluir, ajudar, errar muito, acertar mais, cair muitas vezes, levantar sempre (...)
Quero me encontrar e ir atrás da minha realização. Mas o principal é para onde quer que seja, que eu vá sempre acompanhada das pessoas que escolhi pra minha vida. Porque se eu não tiver com quem dividir tudo isso, é melhor que fique tudo igual.
Obrigada a todos que rechearam meu 2009, e fizeram parte de um ano inteiro de evolução e mudanças. Que 2010 me reserve muitos outros desafios, para que eu possa cumprir a minha missão de proporcionar orgulho a todos os meus escolhidos.

5 comentários:

Thaís Rizzo disse...

você é tão linda.. especial. não perde o jeito NUNCA! te amo s2

Pamela Felício disse...

Cada dia que passa você escreve melhor. Lindas suas palavras, seu texto e seus sentimentos.

Amei (L)

Gianda Oliveira disse...

Gabi, obrigada por visitar meu blog. Apareça sempre. Um lindo ano pra vc viu? Gde beijo no coração

Thi@go disse...

Foi completamente abundante em tudo que falou, magnificamente dona das palavras, quando a leio consigo conhece-la muito melhor... E acho que vc deveria fazer o mesmo, deveria ler a si mesmo com mais profundidade... tem alguns pontos que gostaria de pontuar no seu texto.
Muitos são entregue a culturas invetadas, porem poucos tem a coragem para resistir a ela.
A liberdade é primordial.
O maior objetivo do ser na terra, o que viemos buscar aki, é exatamente o prazer.(nunca troque mesmo prazer por dinheiro).
Gabi vc é livre pra fazer o que lhe satisfaz a alma, e se assim fizer vera que tudo a sua volta acontece... bjus

Ana Carolina Ribeiro Costa disse...

Muito Obrigada Gaby por passar no meu blog, que o q vc me desejou realmente aconteça..
Li seu texto e meio que encontrei um pouco de mim ali, muito lindo!
Também te desejo o melhor para seu futuro..
;)