domingo, 22 de março de 2009

Minhas mudanças "particulares"

Eu começaria assim: “A vida é um constante recomeço!”.
Então talvez eu não esteja começando...


Às vezes me pego pensando em tudo o que vivi até hoje, e me pergunto até que ponto viveria tudo novamente, até que ponto as minhas experiências me machucaram ou me curaram. Aliás, de tudo, acho que é nisso que mais penso. Por vezes desisto de pensar, mas logo REcomeço.
Pode ser que eu esteja passando por aquela fase crítica e dolorida da adolescência, de descobrimento interior. Ou pode ser que por essa eu já tenha passado e esteja revendo os meus conceitos. E esse é um deles: conceitos podem mudar todos os dias. Ao passo que tenho opiniões minhas, baseadas em certezas minhas, nada me impede de ouvir opiniões alheias e mudar de posição. Isso não é feio, sequer indica falta de personalidade. Pontos de vista diferentes me atraem.
Sou como uma boa geminiana: em constante mutação! Posso decidir mudar totalmente o rumo da minha vida hoje. E nem é fácil ser assim, mas “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo (...) eu quero dizer, agora o oposto do que eu disse antes” – Mestre Raul Seixas.
E de verdade, prefiro! Experiências de vida acentuam em mim, cada vez mais, essa característica mutante. Não gosto de me preocupar todos os dias com o mesmo problema; é nostálgico demais pra mim. Que venham mais desafios. E então, quando tudo passar poderei me lembrar com carinho das noites de sono que não perdi por causa deles. Ou talvez não, pode ser que eu esteja muito ocupada vivendo.
Aliás, viver me ocupa demais... é uma das poucas coisas da qual eu nunca me canso. O maior amor da minha vida é a minha vida!
Enquanto eu viver posso mudar várias vezes de opinião, posso mudar o rumo da minha vida quantas vezes mais. Só viver me proporciona isso. Por isso, dentre tantas escolhas que já fiz, a principal delas é VIVER! Todos os dias de modo diferente, para que não me pareça sempre igual. Afinal isso me cansa.

“Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, depende de QUANDO e COMO você me vê passar”. – Clarice Lispector

3 comentários:

Pamela Felício disse...

Meu Deus :x
De todos os seus textos, esse é o melhor que eu já li.
Incrível como você consegue usar as palavras a seu favor. Além de perceber a grande mulher que você é, outra coisa evidente é seu talento em escrever. Eu te admiro muito. E nunca conheci uma estudante de Jornalismo que soubesse trilhar tão bem seu destino como você.

Me orgulho cada dia mais em ter você na minha vida.

TE AMO muito!

Thaís Rizzo disse...

As vezes penso que fomos separadas na maternidade.
As vezes tenho ctz!

thiagosantosjk disse...

Dificil escolher entre seus textos um melhor, muito dificil mesmo. Na possibilidade de uma votação entre todos eles eu ficaria com vc. Uma mulher de uma inteligecia privilegiada e de um ponto de vista unico, capaz de coloca-los no papel. Por que como dizia o mestre Raul seixas, "o ponto de vista é que é o ponto da questao" bjus